Disfunção erétil tem cura?

Para começo de conversa, vamos explicar o que é disfunção erétil.

Disfunção erétil ocorre quando a circulação para o pênis está comprometida, fazendo com que ele não fique ereto. As principais causas são distúrbios psicológicos, doenças hormonais, doenças neurológicas, doenças vasculares, consuma excessivo de medicamentos, cirurgias pélvicas, alcoolismo e tabagismo.

Fatores de risco

Existem fatores de risco, como as doenças cardiovasculares (infarto e derrame), ocorrem por conta da necessidade de um enorme fluxo de sangue para manter o pênis ereto. Quando a circulação para o órgão está comprometida por um dos fatores citados a disfunção erétil pode surgir. Outros fatores que podem influenciar, são os pscologicos, como por exemplo a ansiedade.

Existem vários casos de disfunção erétil, podendo variar bastante o prognóstico. Hoje os casos mais difíceis de serem tratados são os diabéticos e os pacientes submetidos a prostatectomia radical. Esses casos não respondem a terapia oral com mais frequência, mas podem ser tratados com outros métodos e voltarem a vida sexual.

Nos dias de hoje como é vista a disfunção erétil

Portanto nos dias de hoje existem tratamentos para todos os tipos de disfunção erétil, até mesmo para outros problemas sexuais como a ejaculação precoce. Adote hábitos de vida saudáveis, procure um bom médico para te auxiliar durante esse processo e não tenha vergonha de falar sobre o problema.

Dessa forma é preciso ter dedicação também do paciente, é preciso empenho para passar por todas as fases do tratamento. Como no caso do tabagismo, depois do diagnóstico de impotência sexual, o homem deve se exercitar com frequência. Fazendo com que o quadro de disfunção não só se estabilize como pode ser revertido.

Contudo é aconselhado o uso de tratamentos naturais que não possuam efeitos colaterais e nem contraindicações. Hoje em dia, encontramos diversas soluções eficazes com todas essas características, o autocuidado é essencial para uma vida repleta de bem estar, boas condições físicas e psicológicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *