Disfunção erétil: aprenda o que é e como tratá-la

A disfunção erétil se dá pelo excesso de um hormônio: a adrenalina. Aprenda as causas e como tratar essa doença.

O que é ejaculação precoce?

A disfunção erétil é uma das doenças mais temidas pelo homem moderno. Com a vida sexual sendo tão importante no dia a dia do ser humano, é comum que muitos homens, especialmente no início da vida sexual se sintam ansiosos e nervosos antes e durante o ato. Porém, a ansiedade e nervosismo em excesso fazem com que o cérebro produza um hormônio extremamente importante: a adrenalina. 

A adrenalina é uma substância produzida pelo cérebro em momentos que a necessidade de ficarmos alerta é grande. É uma substância essencial para a sobrevivência humana já que faz com que fiquemos mais despertos, prontos para lutar ou correr. O problema surge quando o cérebro produz a adrenalina em excesso, assim dando origem à ejaculação precoce. 

É comum nos sentimos nervosos e ansiosos com o ato sexual, seja no início da vida sexual quando a inexperiência é grande ou com anos de prática, no momento em que queremos impressionar o outro, por exemplo.

Quando o cérebro produz adrenalina o pênis se enche de sangue, dando origem a ereção, mas quando essa substância é produzida em maior quantidade do que o ideal, com os vasos sanguíneos cheios, os tecidos cavernosos do pênis ficam pressionados fazendo com que o único lugar para sair e aliviar a pressão seja a ejaculação, surgindo assim, a ejaculação precoce.

Para identificar essa doença sexual é necessário que o cenário aconteça mais de uma vez, e seu diagnóstico é clínico realizado unicamente através de diálogos com o clinico geral, medico urologista ou psicólogo já que as causa biológicas da ejaculação precoce ainda não foram provadas pela ciência.

Apesar de, até o momento, não ter sido comprovado nenhuma causa física desse distúrbio, sabemos que doenças neurológicas como ansiedade e depressão podem provocá-la. 

Como acontece a ereção?

A ereção se dá com estímulos sensuais, os corpos cavernosos do órgão sexual masculino funcionam como esponjas, absorvendo o sangue e tornando o pênis rígido, maior e mais encorpado que quando não há estímulos. 

Quando a adrenalina é liberada no organismo os corpos cavernosos se enchem de sangue de tal forma que a única maneira de aliviar a pressão é através da uretra, ou seja, ejaculando. No momento em que a ejaculação ocorre os corpos cavernosos diminuem a quantidade de fluxo sanguíneo no órgão sexual masculino, o deixando flácido novamente.  

A ereção e o orgasmo acontecem em lugares diferentes no cérebro, o homem pode ejacular sem chegar ao orgasmo, ou o inverso, chegar ao orgasmo sem ejacular.

Essa não é a reação mais comum do corpo humano, mas em quadros isolados pode vir a acontecer, no caso da ejaculação precoce o homem pode ejacular durante os preliminares ou até mesmo sem o toque de sua parceira. É comum que a doença apareça em jovens e se não tratada corretamente pode vir a se tornar uma disfunção erétil.

Isso não significa que um homem mais velho não possa desenvolver a doença, pois ela também pode surgir após um evento traumático como separação, desemprego ou perda de um ente querido.

Alguém que está sofrendo de disfunção erétil não precisa ter, necessariamente, ejaculação precoce.

Uma doença existe sem a outra, mas pode acontecer de ambas estarem juntas ou ser resultado de outra doença não tratada de forma correta no passado. Homens que sofrem com transtorno de ansiedade também têm maiores chances de ter ejaculação precoce.

Quais são as causas mais comuns da ejaculação precoce?

Existem algumas causas da ejaculação precoce, sendo a principal delas a ansiedade, mas é sempre importante destacar que um ansioso não precisa necessariamente sofrer de com esse distúrbio. O tabagismo, o uso de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas aumentam de forma significativa as chances de o homem desenvolver a doença. Especialistas comprovaram que fumar aumenta em até 30% as chances de surgir doenças sexuais. 

Quantidades exageradas de álcool no organismo prejudicam a desejo sexual de forma direta já que a desidratação causada por bebidas alcoólicas aumenta o nível do hormônio angiotensina, hormônio esse o principal causador do vasoconstrição (estreitamento dos vasos sanguíneos, impedindo que o sangue se acumule no pênis). Homens que sofreram de problemas ou passaram por cirurgia na medula óssea e pélvis também podem apresentar os sintomas da ejaculação precoce.

A grande dificuldade é que, uma vez que ocorre a ejaculação precoce, o homem tende a se sentir cada vez mais frustrado e receoso. 

Como funciona o diagnóstico dessa doença sexual?

Não existem exames físicos que ateste a existência da ejaculação precoce, sendo assim, o diagnóstico é realizado através de conversas com o paciente. Entre os tratamentos mais comuns da ejaculação precoce estão medicamentos prescritos pelo médico urologista que buscam retardar a ejaculação, psicoterapia e até meditação.

Psicoterapia

O acompanhamento psicológico, também conhecido como psicoterapia, se baseia na conversa com o paciente a fim de ajudá-lo.  Acompanhamento psicoterápico em casal frequentemente apresenta melhores resultados em longo prazo. 

O acompanhamento dura em torno de três a quatro meses. Com o objetivo de conter a ejaculação, o homem aprende a ter o controle sobre sua ansiedade sendo, inicialmente, apenas tocado por sua parceira, sem que haja a penetração. Esse treinamento busca que o homem consiga ter o controle de seu próprio corpo. 

Meditação

O mindfulness, ou atenção plena em português, com seu nascimento no budismo séculos atrás essa forma de meditação tem ganhado mais espaço na vida dos que buscam hábitos saudáveis. Prática consiste em sentar-se ou deitar-se em uma posição confortável mantendo o foco na respiração e no momento presente.

Hoje a meditação tem sido usada nos tratamentos de doenças psicológicas como depressão e ansiedade e até doenças físicas, se mostrando cada vez mais eficaz no combate de doenças sexuais como ejaculação precoce e disfunção erétil. A meditação tem sido empregada em escolas e empresas visando à criação de hábitos saudáveis para a mente e o corpo. 

Método parar melhor a disfunção erétil

O método parar e começar se baseia no ato de estimular sexualmente o homem até que o mesmo se sinta prestes a ejacular e então, parar por alguns segundos (recomenda-se cerca de 20 a 30 segundos), repetir esse processo por várias vezes durante o tempo desejado. O objetivo que se pretende alcançar com a aplicação deste método é o controle sobre seu próprio órgão sexual. 

Medicamentos para disfunção erétil

Os medicamentos costumam ser indicados em último caso, ou então quando o homem se recusa a outros tratamentos, como a terapia. Neste caso, o médico poderá receitar antidepressivos fracos que tem como efeito colateral o retardamento da ejaculação.

Tais medicamentos podem ser extremamente eficazes, porém existem diversas contra indicações e efeitos colaterais como dor de cabeça, náuseas, coceira na pele e sangramentos. Outro grande problema encontrado no uso de medicamentos, especialmente em antidepressivos, é a volta dos sintomas uma vez que o uso dessa droga é suspenso.

Nos dias de hoje existem tratamentos naturais que podem substituir essas drogas. Tratamentos com Niacina (vitamina B3) e Piridoxina (vitamina B6), em sua fórmula tem se mostrado bastante eficazes no tratamento da ejaculação precoce. 

Tais tratamentos, por serem naturais e estimular seu próprio organismo a produzir os hormônios necessários para uma vida sexual satisfatória.

One thought on “Disfunção erétil: aprenda o que é e como tratá-la

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *